Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cada um com seus problemas!


A forma como somos criados, enquanto crianças, defini o nosso caráter quando adultos.
Os meus pais, sempre foram pessoas muito rústicas, bem simples, sempre optavam pelas coisas mais humildes, mas a característica mais marcantes deles, eram de ajudar o próximo.
Talvez por terem sido criados, com muitas privações em suas vidas, eles nunca deixaram, faltar absolutamente nada, para os seus filhos.
Sempre davam um jeitinho, para satisfazer as necessidades de seus pupilos.
Estes valores deixados por eles, se fazem presente no meu cotidiano, e é motivo de grande orgulho para mim,pois a cada dia, percebo que são valores extremamente raros, nos dias atuais, está cada vez mais difícil, pessoas dedicadas ao próximo.
As pessoas vivem seus problemas intensamente, aliás um detalhe, elas vivem seus problemas, como se elas fossem as suas próprias vidas, no entanto, tenho como opinião, que problemas tem que ser solucionados, e não precisamos nos tornar um, vestindo as questões que nos faz sofrer, de corpo e alma.
Quando incorporamos os nossos problemas, passamos a ser o problema, e muitas vezes nos tornamos em uma pessoa intolerante, e insuportável.
Chegando ao ponto das pessoas, dos nossos convívios afirmarem; “eu não tenho raiva de fulano, mas odeio o seu jeito de tratar as pessoas !”
Sou muito solicito, mas ultimamente, as pessoas tem me tirado do sério, e confesso tenho voltado, ao pior de todos os sentimentos humanos, que é o ‘estado de inferno’.
Digo que, este é o pior estado espiritual, pois nele, eu passo a ignorar completamente os sofrimentos alheio, e faço vista grossa, como se a pessoa não existisse.
Como um bom observador, percebo que aquela pessoa, que mais reclama da sua condição, são as que menos lutam, para mudar os aspectos negativo de suas vidas.
Eu não tenho muito a certeza, mas acho que elas por covardia, ou medo de mudanças, transformam toda a energia de fazer ,em falar, e o pior de tudo, é que são só lamúrias.
A minha dificuldade em ajudar estas pessoas, é porque elas, sempre tem um motivo mais forte, que justificam o seu estado, elas acreditam tanto que são infeliz, por conta de uma entidade superior, que acham que são absolutamente incapazes de mudarem os seus destinos.
Não sei quem, falou para eles, que deus castiga, e que se eles estão passando por esta “provação” ,é porque ele sabe o que faz, mas o tiro de misericórdia, é quando mencionam; “deus dá a cruz, que cada um merece, pois ele sabe o peso que cada um pode suportar!”
A contradição nesta realidade, é que ao mesmo tempo que estas pessoas se resignam pelos seus problemas, elas ao mesmo tempo, reclamam da vida, e se julgam injustiçados, esquecidos, e desmerecedores do amor alheio.
Esta forma de pensar, dificulta até as nossas intenções de ajuda-los, pois atualmente vivemos num mundo cheio de falsos valores, as pessoas se aproximam uma das outras, apenas por interesses, sempre querendo extrair algo, ou vantagens para si mesmas.
Por este motivo, passamos de mocinho a vilão, certa vez me aproximei de uma pessoa, bem mais nova do que eu, para ajuda-lo,ou fazer qualquer coisa que ,aliviasse as suas angustias, e crises existenciais.
Seus pais falaram para ele ter cuidado comigo, pois eu poderia ser um pedofilo, um pederasta, ou coisa pior.
Sim, e é fato, existem pessoas mal intencionadas, mas, antes de qualquer julgamento, precisamos conhece-las.
Sou bem imune, a este tipo de sentimentos, apesar de serem ofensivas, elas me fortalecem, pois se analisarmos bem, este tipo de comportamentos, são típicos de pessoas que se esqueceram da sua própria humanidade,e por conta disto, perderam a fé na sua própria espécie.
Acredito que existem muitas coisas ruins no mundo, muitos sentimentos descartáveis, no entanto, precisamos dar chances a nós mesmos, para melhorarmos as nossas próprias condições.
Quando menciono condições, não estou falando do material, mas saiba que se você estiver bem espiritualmente, a matéria será conseqüência do teu estado de graça.
O importante na vida, é você acreditar em você mesma, e se por alguma razão, você está decepcionado com você mesma, dê uma chance as pessoas que lhe estendem as mãos.
Acredite, as vezes o Santo de casa, não faz milagre, então terceirize um suporte a sua vida, mas não fique sofrendo, pois acredito que ninguém nasceu para sofrer, a não ser por escolha própria.
A vida é bastante generosa com agente, ela é abundante, e cheio de recursos, nós que na eterna ignorância, aprendemos a ser medíocres, e mergulhamos de cabeças em nossos próprios mundinhos.
Não somos espelhos, mas para uma melhor compreensão da vida, vamos todos refletir sobre as questões que nos fazem sofrer, talvez com isto, consigamos mudar a nós mesmos, e conseqüentemente o mundo!
Muito obrigado por terem lido até o último parágrafo.
Paulo RK SP MINDS NAMASTÊ!

5 comentários:

  1. muito bom esse texto, acho que teve endereço certo, não é? alguém que precisava ler estas palavras...

    tome muito cuidado com esses coitados, pq eles se acham tão vítimas...mas tão vítimas que acham agressores aonde não existem.

    Já fui vítima de um assim, que me xingou inclusive. me acusou de agredir, de ser "mau", sem eu ter feito NADA!
    Vou até contar aqui o caso rs. Desabafo rapido rs

    Eu fiquei é muito decepcionado. Era um amigo, uma pessoa que eu gostava e levava em muita consideração. A pessoa fez um post reclamando dos problemas, de si mesma. Alguém foi lá e xingou, anonimamente. Dai a pessoa veio tirar satisfações comigo, que eu fui lá xingá-la, é mole? me falou um monte... foi bem chato. dai abri a tampa do ralo, deixei a pessoa ir embora. fiquei duplamente ofendido. e muito chateado, pq era uma pessoa que eu considerava e jamais ia deixar recadinho xingando anonimamente, vê lá se sou moleque de recados rs.

    por isso, fique de olho ABERTO com esses "pobre de mim"

    vc me falou de lótus, olha um post que fiz, tem até passeio em um laguinho de lótus por aqui

    http://lostinjapan.portalnippon.com/2010/07/um-barquinho-e-um-lago-de-lotus-lost-in.html

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Certa vez a minha psicóloga me disse que nós só podemos acompanhar a pessoa, pegar na mão dela até certo ponto do caminho, depois disso, ela precisa continuar o resto do trajeto sozinha para conseguir chegar onde quer chegar.
    Não podemos ter a pretensão de que somente com nossos conselhos e ajuda a pessoa vai mudar, ela precisa aceitar o que houve, aceitar a ajuda e a partir desse ponto usar isso para seu benefício. A sua parte você fez e após isso deve esquecer. Seguir adiante daí ou não já é uma prerrogativa da outra pessoa.

    ResponderExcluir
  3. Tenho por princípio de vida ajudar a quem precisa e se dispõe ser ajudada ... mas ajuda não pode ser confundida com o carregar "ad eternum". Por vezes perco por inteiro a paciência com pessoas q não sabem fazer outra coisa na vida q se lamuriarem ... todos temos problemas, o q nos difere é como lidamos com eles ... dê aos problemas a sua real dimensão e tenha sempre em mente q eles nunca são e nem serão maiores q nossa capacidade de superá-los ...

    bjux ao "Xará"

    ;-)

    ResponderExcluir
  4. Amigo obrigada por me ter dado o prazer de conhecer mesmo virtualmente uma pessoa que vive com os mesmos padrões que eu vivo!!! eu custumo dizer que Deus faz mas eu tenho que fazer a minha parte entrego a um poder maior do que eu e posso dormir descançada...amei de coração o seu texto li tudo até ao fim não sei escrever assim como você mas sei o que gosto.
    beijo ((Maria))

    ResponderExcluir
  5. Oi Paulo...

    Gostei muito de ler este texto. É um boa reflexão. Também me deixa bastante irritada pessoas que só reclamam, colocam obstáculos em td e não fazem nadica para reverter o quadro. Geralmente sou mto sincera com pessoas assim e digo algumas verdades. Resultado: arrumo uma intriga hehe, mas calar nunquinha.

    Beijos lindinho.

    PS. Simplesmente aaaaaaaadorei seus comentários no meu blog. Vc tem se tornado um grande amigo. Obrigada!!!

    ResponderExcluir