Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Pobre ignorante se ofende com tudo!

Eita, que a pobreza chegou no meu blog, hoje com mais este texto escrevi dois pensamentos sobre os “pobres”, falo da pobreza espiritual, é claro, afinal de contas eu também sou um ‘pobre de maré, maré de sí’!
Porque não adianta a gente querer lidar apenas com pessoas de fino trato, ‘dos ricos’, porque quem é verdadeiramente rico, ‘não os metidos’ mas  aqueles que realmente tem ‘poses’ não se misturam com a gente por terem medo das nossas reações e comportamentos.
Esclarecendo que alguns preconceitos são até compreensíveis!
E não menciono apenas sobre a violência física, os “pobres” do Brasil confundem pobrezas financeiras com a pobreza de espírito (comportamento), intelectual, com a falta de higiene, e entre muitos outros fatores que compõem este mundo “civilizado” dos que são verdadeiramente ricos.
Não se tratando de um preconceito pessoal meu, reparem, ontem tive uma pequena discussão com uma pessoa que de certa forma depende de mim (negócios), então hoje não satisfeita com os acontecimentos passados, a pessoa na sua mais absoluta ‘pobreza espiritual’ disse a outra pessoa inverdades a meu respeito, retirando da minha boca o que de fato não havia mencionado.
Então fiquei “possesso” reagindo a esta negativa a meu respeito, e quando fico ‘nervosinho’ aumento o meu tom de voz, ‘vociferando’, daí a pessoa “pobre” ficou toda magoadinha, dizendo que eu sou grosso!
Desde quando nos defender de calúnias a nosso respeito são grosserias?
Outro dia um dos meus patrões mencionou para mim que ‘pobres’ são pessoas não confiáveis, ‘pois são mentirosos’, nem fiquei magoado, pois sei exatamente a que pobreza ele se referia, e tal experiência desagradável que tive ontem se confirma e justifica a ojeriza que meu patrão tem sobre alguns pobres deste ‘mundinho profano’, mas certamente que se meu patrão tivesse dito tal realidade, para a pessoa que me caluniou ontem, ela ia ficar toda ‘magoadinha’.
Outros exemplos típicos dos comportamentos dos “pobres” é a completa falta de noção de preços entre produtos novos e usados, um amigo faz “rolos” com celulares então ele compra um usado por valor X e revende por um valor maior, acreditando estar no lucro.
Recentemente meu celular deu “pau”, então comentei para ele sobre os acontecimentos e me arrenpendi por ter mencionado, achei até um despautério, pois ele me ofereceu um celular TOP da marca Samsung, quase a um preço de um novo, ele ficou insistindo, até que fiquei ‘nervosinho’ e disse a ele a real.
Disse que ele não tinha noção, como pode revender um celular usado quase a um preço de um novo e sem garantia?
Então o ‘pobre’ ficou todo magoadinho, ficou fazendo ‘biquinhos’ e virando a cara para mim durante semanas, oras me faça o favor!
Tenho mais paciência não!
Outro caso, só para finalizar este comprido texto, é de um “amigo”, sim amigo entre aspas, pois é do tipo interesseiro e só procura a gente quando necessita de algo, outra característica dos ‘pobres’ que meus patrões abominam e muito.
Tal “amigo” vive de boa, e só começa a procurar trabalho quando a situação ‘aperta’, o cara é tão bicho grilo, não esquenta com nada, eu vivo a repreender ele, cobrando dizendo que por ser ‘homem’ deveria se preocupar mais com o trabalho, estudos e assuntos pertinentes a sua família como mãe, pai e irmãos.
E sabem o que ele me disse?
Outro despautério, disse que eu só sei criticar e não o ajudo em nada, dando referências com as pessoas para quem eu presto serviços, respondi dizendo  que nunca faria isso, pois não queria sujar a minha imagem com pessoas vagabundas, que não se esforçam para nada nesta vida.
Adivinham?!?!
O ‘pobre’ ficou completamente magoado e indignado comigo, mas é fato,  ‘pobres de alma’ são todos ‘magoadinhos’ de fábricas porque não tem compreensão e se quer sabem distinguir o certo do errado em suas vidas  
E fazendo tudo de errado em suas vidas (merdas), prejudicam quem se envolverem ou conviverem com eles!

Paulo RK

“Cansei de ser pobre”! (da pobreza alheia)

Obviamente que isso nunca vai acontecer comigo, porque quando digo que ‘gosto de ser pobre’, não é da boca pra fora, porque me acostumei a ser um,  dizem que afirmo tal máxima porque desconheço o luxo!
Que seja assim então, pois dizem que “riquezas ($)” nos corrompem, nos tornando soberbos, extravagantes e mal acostumados.
De fato a minha mãe trabalhou para uma família abastada quando nova, testemunhou todo o sofrimento de uma família quando perdeu a riqueza, diz ela que quando somos pobres e enriquecemos por alguma “boa sorte da vida” ou por méritos próprios, vivenciamos os céus aqui na terra, mas do contrário é verdadeiro, o sofrimento é maior para quem conheceu primeiro o céu aqui na terra, para depois amargarem o incessante sofrimento da escassez, ou da realidade da vida “infernal” de um pobre.
Tem gente que acha depressivo eu ficar falando em voz alta que sou pobre e que curto muito tal condição, a questão é que não compartilho da mesma “visão” que as pessoas hipócritas possuem sobre a pobreza e riqueza material.
Ser limitado financeiramente não é feio, feio é ser pobre e ficar fazendo ‘pose’ de rico, sabe o pobre metido (?) que fica se exibindo por futilidades?!?!?
Porque tais pessoas com tais hábitos desprezíveis são na verdade pobres de espíritos, e a pobreza de espíritos em muitos casos imperdoáveis, pois os ‘miseráveis espirituais’, são capazes de praticar atos desumanos contra a sua própria humanidade.
Conheço uma pessoa que tem muitas dificuldades em “administrar” a sua própria vida, então perturbações comportamentais e mentais diversos as fazem manifestar em público ‘estranhamente’, identificando a no meio de tantas outras pessoas como sendo uma pessoa louca.
A gente que procura respeitar as pessoas normalmente, não tendo problema algum em lidar com tais pessoas, pelo próprio fato de compreendermos que todos nós um dia poderemos ficar iguais as tais pessoas “estranhas”, no entanto outras pessoas, com maldade no coração fazem chacotas com tais pessoas, fazendo piadinhas de mau gosto ou os mais extremos agredindo fisicamente.
Muito raro tais agressões físicas em público, mas não estão descartadas, pois eu mesmo presenciei selvagerias em público e em plena luz do dia e ninguém fez nada, porque pessoas perturbadas não são privilégios de uma única pessoa e nos tempos atuais, muitos estão perturbados podendo manifestar suas loucuras sem aviso prévio.
Pois um psiquiatra certa vez comentou que de esquizofrenia temos um pouco, alguns mais outros de menos, como se fosse ‘diabetes’, a questão é que se não houver tratamento, com o tempo ela vai se agravando, como qualquer outra doença mental e ou física.
Mas a questão para a reflexão deste meu texto são as pessoas que parecem ter muita dificuldade em ‘administrar’ suas vidas, cometendo uma sucessão de erros que resultam nas piores conseqüências prejudicando elas mesmas, e para piorar tais pessoas não conseguem enxergar que os erros não são das outras pessoas, mas de seus próprios atos cometidos impensadamente.
Por esta razão não costumo viver da ilusão, a minha verdadeira condição humana é pobre, financeiramente falando, e ao contrário dos outros pobres não sou avarento, odeio “viver” das aparências dizendo as pessoas do mundo que sou uma coisa sendo outra.
A ganância e a avareza numa pessoa são a pior das piores condições humanas, pois nascem de uma alma pobre, da pobreza de espírito, e por esta razão quem me conhece pessoalmente, sabe muito bem das minhas condições sócio econômicas em que vivo, por outro lado e a despeito da minha pobreza financeira elas adoram a riqueza de pessoa que busco ser com todos do meu entorno!
Portanto quando mencionei que “cansei de ser pobre”, no tema título deste texto me refiro à verdadeira pobreza humana que é a espiritual e não a material, porque podemos perdoar a condição restrita daqueles que possuem menos, mas nunca perdoaremos os avarentos que amam ter vantagens em tudo nesta vida. (simples assim)

Paulo RK