Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Você se sente motivado pela vida?

Num mundo em constante transformação, o nível e grau de satisfação são cada vez mais intensos e incertos, de repente ‘sinto’ que todos os meus esforços são insuficientes para agradar não só a mim, mas as pessoas do meu entorno.
Obvio que não me esforço tanto para agradar os outros, porque afinal de contas e sendo sinceros com todos vocês, as pessoas sempre estão insatisfeitas com elas mesmas, e tudo que fizermos em prol da felicidade alheia parecerá insuficiente para elas.
Não quero parecer egoísta, mas ultimamente tenho me preocupado somente com a minha própria motivação nesta vida, e a questão fundamental deste meu dilema é quando ‘eu’ próprio estou começando a sentir que não tenho feito muita coisa para me manter motivado pela minha própria vida.
Costumo fazer o que quero, quero dizer ‘quase sempre e quando posso’, porque como todos sabem e de repente numa sociedade hipócrita em que vivemos, não podemos sair mundo afora colocando em prática tudo que ‘projetamos’ dentro das nossas mentes “liberais”, pode não ser ‘legal’, parecer ridículo ou muito pior, constranger pessoas do nosso entorno.
Porque para quem não sabe a minha felicidade não depende da infelicidade de ninguém, apenas do quanto eu busco me manter motivado ‘procurando’ fazer o que me deixa feliz neste mundo.
E não estou falando de coisas impossíveis ou inexeqüíveis, menciono pequenas ‘coisinhas’ da vida que mais amamos fazer, coisas até bobas do ponto de vista de algumas pessoas descrentes pelas suas próprias felicidades neste mundo.
Esqueça as coisas que não podemos fazer, esse é o mal das pessoas, lamentam pelas coisas que não podem fazer, abrindo mão ou perdendo seu precioso tempo, deixando de fazer o que elas poderiam estar realizando em prol de suas próprias felicidades nesta vida.
Que a vida é curta, todos sabemos, então pra que perder tempo (?) com tudo que não podemos realizar?
Dizem que apenas uma existência não basta para realizarmos e vivenciarmos todos os nossos sonhos para sermos felizes, no entanto (eu acredito) podemos escolher um dentre muitos outros e dedicarmos em tempo integral a esse sonho como se não houvesse o amanhã! (que tal?)
Vale muito à pena, fazer valer as nossas vidas por cada sopro de vida contido dentro de nós e fazendo o que queremos em vida!
Só para mencionar, quando digo que faço o que mais gosto de fazer na minha vida, me refiro a coisas simples, como por exemplo, cozinhar, escutar músicas, consertar coisas em casa, cultivar o meu amor pela natureza, ser organizado no meu trabalho, escrever blogs, e entre muitas outras atividades mundanas e humanas que me fazem sentir vivo.
Acho muito importante sentirmos vivos fazendo o que mais gostamos e dominamos nesta vida, e como eu próprio mencionei parágrafos acima, quando dedicamos nossos tempos livres de nossas vidas fazendo o que amamos fazer, ‘vivemos’ com mais motivação, não nos abalando por nada de ruim que nos aconteça, do contrário é verdadeiro
Tem muita gente “vivendo” da rotina, então as conseqüências deste abominável ato, consomem aquele que faz da rotina seu “estilo de vida”, quando perdemos a motivação pelas nossas vidas, doenças psicossomáticas como o próprio câncer será inevitável.
Para termos uma ‘vida saudável’, precisamos primeiro cultivar hábitos saudáveis, lembre-se que a saúde do teu ‘corpo físico’ depende quase que exclusivamente do conteúdo mental, do teu ‘corpo mental’ e com certeza fazer ‘coisas’ que amamos nesta vida colabora para o individuo ter qualidade de vida, quando vivemos motivados raramente adoecemos, veja estatísticas das pessoas que cultivam hábitos saudáveis.
Quanto a mim que mencionei ter a impressão que meus esforços são insuficientes para ‘alimentar’ a minha própria motivação pela vida, ‘nada de mais’ a questão é que eu me enjôo fácil da rotina e sempre estou procurando novas formas, novas atividades para estar fazendo nas minhas horas livres para ‘saciar’ a motivação pela minha vida.
E você o que tem feito para ser manter motivado pela vida?

Paulo RK

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

"Desejando a morte de alguém"!

Ultimamente estou desejando a morte de uma pessoa, eu sei que não podemos ter esse tipo de desejo seja lá com quem for, mas é só desejo, por enquanto (risos)!
Não posso ocultar tais sentimentos ruins, pois como costumo mencionar aqui neste meu ‘cantinho virtual’, tudo aqui é um desabafo pessoal, aqui me permito às reflexões mais insanas e doidas, afinal de contas, com pensamentos nefastos não posso falar publicamente para todo mundo ouvir, pois terá suas conseqüências com certeza.
Na verdade o meu “desejo” não passa de sentimentos negativos invocados pela própria ‘suposta vitima’!
Pense numa pessoa nos seus 60 e ‘trá lá lá’ e alguns aninhos (pessoa idosa), mas que nunca fez nada de positivo para ela mesma e agora frustrada com seu “estilo” de vida miserável e decadente, “compartilha” com as outras pessoas toda a sua dor e indignação (revolta) de quem nunca lutou pela sua própria felicidade por incompetência pessoal e incapacidade própria.
A pessoa se tornou num completo animal no sentido irracional, a única ‘coisa’ que ela sabe fazer é “colecionar” lixos, sai às ruas catando lixos e acumula em sua casa, causando todo tipo de transtornos a seus familiares e pessoas do entorno como a vizinhança!
‘Cada um com seu cada um’ nem me importo se a pessoa faz da sua casa um lixão e gosta de viver entre os ratos, a questão é que a infeliz fica de madrugada gritando, não permitindo a ninguém o sono do justo e como se não bastasse fica jogando ‘coisas’ (lixo) no quintal alheio.
Então quando eu fico “desejando a morte desta pessoa”, não quero dizer que fico conspirando ou pensando numa forma de exterminar essa ‘indesejada’ peste neste mundo, mas fico me indagando, me perguntando constantemente; ‘qual a razão de um “ser humano” desse “naipe” existir neste planeta’?
Fico pensando comigo mesmo e no caso de sua morte, ninguém se comoverá, muito pelo contrário, todos agradecerão a “deus” pela sua “partida”, será um favor a toda humanidade, me lembro de um tio que era perturbado como essa pessoa em questão, eu era muito pequeno, mas lembro nitidamente porque aquela cena me marcou muito, lembro de uma ‘reunião’ entre os familiares, as pessoas votaram pela morte daquele inútil que só causava transtornos, no caso ninguém contratou um assassino de aluguel para exterminar aquela “erva daninha”, mas me lembro muito bem, parece que o infeliz precisava de uma cirurgia e tal ‘cirurgia’ tinha um custo alto, então todos decidiram não “gastar” um centavo para salvar a vida daquele infeliz causador da infelicidade alheia.
Mas a reflexão profunda deste texto e embora pareça estranho afinal de contas costumo celebrar a vida motivando pessoas, é a pergunta mais reflexiva que sempre acontece comigo dentro da minha mente doentia; ‘para que viemos ao mundo’?
Com certeza não viemos ao mundo para sermos infelizes, e fazer das vidas das pessoas um inferno, eu vou parecer um monstro com o que vou falar, mas se um dia estiver infeliz comigo mesmo e por tudo que deixei de realizar em minha vida, acredito que eu próprio darei um fim a minha existência.
Penso assim porque fui criado para não incomodar ninguém desde muito cedo e ao longo da minha vida na fase do meu amadurecimento quando conheci a filosofia budista aprendi a não incomodar as pessoas, mas colaborar com todas elas para um mundo melhor.
Então quando disse que estou ‘desejando’ a morte desta pessoa perturbada, na verdade é porque fico indagando ou questionando mentalmente a sua função ou papel nesta vida, descartando a mentalmente e considerando a sua forma patética um empecilho aos propósitos reais da vida de todos aqueles que desejam e buscam pelas suas próprias felicidades neste mundo!
E a pergunta que faço mentalmente a essa pessoa que me tira a paz que julgo ter direito é; ‘por que você não morre, e nos deixa em paz’?
Paulo RK