Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Preste muita atenção porque hoje vou profetizar sobre você; Você será muito feliz na sua vida!

Não gente eu não virei profeta e a questão dos conflitos existenciais da humanidade no que se refere ao sofrimento, é que as pessoas se deixam levar pelos momentos ruins de suas vidas, se concentrando unicamente nas coisas ruins que as fazem sofrer, se esquecendo e deixando de lado, a eterna e maravilhosa condição humana, que nos faz crescer nos piores momentos de nossas vidas; ‘a poderosa condição de sermos otimistas, mesmo quando tudo parece estar dando muito errado’!
As pessoas me elogiam dizendo que sou iluminado outros dizem que eu só falo para agradar quando menciono que elas serão muito felizes em suas vidas, ou pior, algumas pessoas que se fazem de vitimas, afirmam que para mim tudo é mais fácil.
Oras bolas (!), nada é fácil para ninguém, mesmo os mais “afortunados” (não sendo o meu caso) tem seus dramas e dificuldades pessoais, o que não podemos, é mensurar sofrimentos alheios pelas aparências na condição de juízes e ficar julgando superficialmente, todo mundo tem a sua luta neste mundo, independendo da sua classe social, credo ou castas.
Quando eu menciono que você será muito feliz na sua vida, estou apenas repetindo o que Buda e Jesus mencionaram em suas escrituras sagradas; de que nenhum ser humano veio ao mundo para sofrer.
Eu não sei qual é a sua crença religiosa e nem estou aqui para questionar quanto à veracidade ou validade da sua religião, mas acho esquisito  pessoas praticarem determinadas religiões a vida inteira e continuar a ter os mesmos sofrimentos de quando ela procurou pela primeira vez, afinal de contas segundo Buda e Jesus a finalidade e razão principal de uma religião existir é livrar a humanidade dos sofrimentos de sua própria ignorância.
Menciono muito Buda e Jesus nas minhas explanações aqui e na minha vida real, porque conheci algumas palavras de Jesus quando ainda era muito jovem, na minha incessante busca para o livramento da minha própria ignorância que me fazia sofrer, mas foi na minha adolescência que conheci o budismo, onde encontrei o meu norte e desde então tenho construído a minha própria fortaleza interior, buscando sempre ser uma pessoa melhor em relação às pessoas e a mim mesmo.
Melhor não no sentido de superioridade, mas ‘melhor’ no sentido de poder estar ajudando o nosso semelhante, agregando conhecimento e livrando as pessoas da ignorância, porque o único mau que o homem pode praticar contra si mesmo e contra a sua própria humanidade é a própria ignorância de quem se acha superior por questões efêmeras e fúteis que não o maravilhoso fato de termos todos nascidos como seres humanos.
Lembrando sempre as pessoas que são duas formas de energias que nos impulsionam e motivam neste mundo, duas forças distintas, mas que se completam umas as outras, ‘o amor e o ódio’, qual é a sua força motriz (?), qual a força que motiva e te impulsiona a fazer o que você tem feito em sua vida; a força do amor ou a do ódio? (importante saber, faça sua reflexão).
O mundo e a vida funcionam bem quando estamos em harmonia com as realidades do nosso entorno, portanto o ódio não é ruim e nem deve ou pode ser desprezada, porque por ser uma força ela também nos ajuda realizar algo em nossas vidas, obviamente que tudo tem suas conseqüências, o livre arbítrio nos dá a liberdade de fazermos o que quisermos com ela, mas não estamos livres das reações, menciono aqui que o ódio também nos ajuda a seguir em frente e a realizar qualquer coisa, pois temos exemplos desta realidade na historia da humanidade, veja Hittler motivado pela força do ódio construiu o império da guerra nazista, tendo suas conseqüências, nada está livre da lei da causa e efeito.
Tanto o amor quanto o ódio devem existir em nossas vidas, mas lembre que para tudo na vida deve existir o equilíbrio entre o negativo e o positivo, a vida funciona como uma roda se estiver faltando uma parte, ela não gira não roda!
Não devemos negar ou ignorar as nossas realidades de vida, devemos aprender a trabalhar com as nossas próprias condições e devemos prestar mais atenção nas coisas que nos faz sofrer, de repente não são as pessoas os nossos piores inimigos, mas nós mesmos os nossos piores algozes, pense nisso!
 Aprendi a enxergar ou encarar a minha vida como um terreno fértil, abundante e próspero, sendo necessárias duas condições para sermos bem sucedido, ‘ter boa vontade e atitudes’, quando temos atitudes na realização de quaisquer sonhos aliados com a boa vontade não tem como não obtermos êxitos ou como não prosperar nas nossas escolhas de vida e no mundo.
Pessoas que vivem a reclamar e que adoram serem vitimas da sociedade, da economia ou da própria “fatalidade” por terem nascido como nasceram não saem do patamar de onde elas se encontram e muito provavelmente já estão mortos, sendo vivos mortos, sem vontade para realizar nada, acreditando que são vitimas de um destino ou de um deus cruel.
Porque tais pessoas preferem acreditar no negativo, preferem ter pensamentos ruins de serem vitimas da vida por ser mais cômodo do que arregaçar as mangas e irem à luta para conquistar seus próprios sonhos.
A vida não é cruel para ninguém, mas saibam que ela é justa com todos, e tudo que acontece ou temos em nossas vidas é meritório, dito isso gostaria que refletissem e se estão insatisfeitos por alguma razão, não percam tempo em observar a grama do vizinho que parece mais verde que a sua, arregaça as mangas e faça valer o seu tempo aqui neste mundo, lembre que a vida é um terreno fértil, abundante e próspero para todos, desde que você tenha atitudes e boa vontade.
Mas voltando ao assunto principal, sobre a profecia de que você será muito feliz na sua vida, é meio obvio porque afinal de contas, Buda e Jesus mencionaram isso à séculos desde os nossos primórdios (risos), você só precisa saber que você não é feliz ou não consegue ser feliz na tua vida, porque você está agindo errado perante as dificuldades e sofrimentos que você tem passado nos últimos dias ou anos em toda a sua vida.
Porque tem gente que se acostuma com os sofrimentos e criam a crença de que nasceram para sofrer, outros se concentram tanto nos acontecimentos ruins de suas vidas que não conseguem enxergar as coisas boas.
Um exemplo; tenho um amigo que passou por maus bocados com as pessoas, ou seja, teve experiências negativas, e ele criou uma crença ruim que no mundo só existem pessoas más, não sendo uma realidade, no mundo todo, existem mais de sete bilhões de pessoas, e nem todas elas são pessoas de má qualidade, existem pessoas de todos os tipos e qualidades, afinal de contas ninguém é igual a ninguém, e o resultado disso é que ele está se isolando do convívio social criando manias estranhas típicas de quem não tem convívio social.
Para finalizar, porque este texto está ficando gigante (risos) é que não podemos de jeito algum nos sentir vitimas de algum infortúnio que eventualmente possa acontecer e jamais nos concentrar nos problemas e dificuldades pessoais, no budismo aprendi que ‘dificuldades e problemas são trampolins que nos ajudam a crescer’, portanto sem essa de se achar o ‘coitadinho’ e viver uma vida medíocre, sempre na rabeira e sombra das outras pessoas acreditando que você nasceu para sofrer.
Não se esqueça que a vida é um terreno fértil, abundante e próspero, tudo que a gente precisa para ser feliz e prosperar neste mundo é ter atitudes e boa vontade!
Só para lembrar e finalizar esta minha reflexão e profecia, quantas pessoas eu conheci neste mundo que superaram problemas que elas mesmas nunca acreditaram serem capazes de superar e serem algum dia feliz, e muitas dessas pessoas acreditavam que eu falava que elas seriam felizes só para agradar, quando na verdade tais pessoas só precisavam de alguém para lembrar que ‘ninguém veio ao mundo para sofrer’ e que a única coisa que elas precisavam saber, era parar de se concentrar nos problemas e dificuldades de suas vidas, afinal de contas problemas e dificuldades são efêmeras, elas desaparecem tão rápidas quanto surgira, sendo que delas devemos ficar apenas com o aprendizado e não com os sentimentos ruins, afinal de contas ‘problemas e dificuldades’ são alavancas para nos tornar em pessoas melhores, e não âncoras para nos afundar no fundo do mar!

Paulo RK

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Quem tem deus no coração enxerga o amor em tudo, nas coisas que faz e nas pessoas do seu entorno, quem não tem, só vê desgraça nas pessoas e no próprio mundo!

Não estou aqui para discutir ou julgar crenças religiosas das pessoas porque acredito que cada um segue o que bem entende e quiser de sua livre escolha e vontade, afinal de contas é para isso que serve o livre arbítrio, mas a questão é sempre o ‘comportamento humano alheio’.
Os comportamentos humanos alheios nos dizem respeito porque nos atingem diretamente ou indiretamente, afinal de contas por mais que eu seja alheio a tais comportamentos desprezíveis de certos religiosos “crentes”, cedo ou tarde nos atingirá por vivermos dentro de uma mesma sociedade.
Não quero parecer vitima com o que vou mencionar, pois acredito que ninguém é vitima ou vilão nesta vida, conforme o conceito budista do Carma que pratico desde 1999, portanto cada um colhe o que planta nesta ou ‘plantou’ em vidas passadas, mas não posso deixar passar em branco e  aqui mencionarei como um simples comentário e desabafo, ‘não um ataque pessoal direcionado a alguém’ pois não cito nomes, mas já passei por apuros com alguns crentes que nos tempos atuais me deixaram espertos pois me aborreceram, portanto se um “crente” se aproximar dizendo ser crente eu fujo!
Simplesmente porque quem coloca “deus ou religião” a frente de quem ele ou ela é, é porque na verdade tem algo a esconder de sua própria personalidade e caráter, portanto quem vive dizendo que deus é tudo na vida é porque deixa a desejar na vida real, não estou criando ou falando bobagens, basta observar o comportamento desses que se dizem crentes, alguns tem conhecimentos profissionais ou técnicos, poderiam estar prosperando a ganhar muito dinheiro trabalhando, só não ganham por serem preguiçosos, “esperando que seu deus” abra as portas ou os “abençoe” com alguma graça e estão sempre na “merda” vivendo da misericórdia alheia (esmolas), vai esperando.
Não entendo essa gente que se dizem crentes e tementes a deus, mas como podem temer ou respeitarem um deus (?), sem estudar a bíblia quando ela própria menciona ‘faça por onde que te ajudarei’.
Como budista a frase ‘faça por onde que te ajudarei’ é bem óbvio, se os crentes cruzam os braços a espera de um “milagre”, acreditando que seu deus os abençoará, essa gente se quer pode ser chamadas de crentes, pois quem acredita numa baboseira dessas só pode ser louco.
Nada é de graça, tudo é meritório nesta vida, temos que fazer por merecer, idolatrar um suposto deus não vai lhe trazer “benção” algum, ou muito pior tem crente que freqüentam igrejas, não faltando em cultos, acreditando que estão em dia com seu “deus”, não precisando fazer mais nada, ou muito pior espalhando a discórdia entre as pessoas.
Mas o pior dos crentes são os que “carinhosamente” considero fanáticos e lunáticos, são os que consideram tudo pecado nesta vida, vivem a julgar as pessoas e tudo que não aceitam em suas vidas como normal, detalhe fazem o cão na vida das outras pessoas e não conseguem enxergar os dois lados da moeda, culpando apenas os outros por seus infortúnios causados pelas suas próprias ignorâncias, não conseguindo enxergar seus próprios erros cometidos.
Costumo me relacionar com todos os tipos de pessoas seja na vida real ou na virtual, pessoas como crentes, macumbeiros, ladrões, traficantes, Gays, Lésbicas, pobres, ricos e entre muitas outras variedades que a vida nos proporciona, tornando inclusive esta vida muito rica e interessante pela própria variedade de gêneros, detalhe me dou bem com todos eles, pois não nutro sentimentos do preconceito, não fui educado ou criado com esse abominável sentimento “humano”, se é que seja humano o desprezo.
Mas infelizmente tive que desprezar um crente fanático e lunático, à muito tempo deixei de enviar mensagens ou vídeos divertidos pelo Whatzapp para ele, porque ‘fala sério’, tal crente só enxergava maldades em tudo que eu enviava, certa vez ele comentou ou sugeriu que estivesse enviando vídeos eróticos como se a minha intenção fosse de causar a separação dele com a sua esposa, dizendo ser ele muito bem casado, fiquei pasmo (óbvio).
Ele me enviava muitos salmos e vídeos de sua igreja e alguns vídeos demora a baixar no whatzapp, e mesmo não carregado eu escrevia ‘amém’ foi quando ele na sua completa maldade interior e ignorância, mencionou que eu nem lia e se quer assistia os vídeos, pois segundo o mesmo como poderia dizer amém sem antes ver o conteúdo (?), foi a gota d’água dele ter mencionado tal blasfêmia contra a minha pessoa.
Desde então tenho reparado, na verdade não é de hoje, essas pessoas que se dizem crentes vivem julgando as outras pessoas, como se elas fossem perfeitas e imaculadas, e quando na prática, as suas próprias atitudes são incompatíveis com tudo que está escrito na bíblia, como pode dizer que são tementes a “deus” desprezando o seu próprio semelhante aqui na terra (?), como podem pregar o amor de “deus” ao mesmo tempo em que eles só enxergam maldade em tudo nas outras pessoas deste mundo, espalhando a discórdia e propagando o desprezo em sentimentos?
Estudo o comportamento psicológico humano, e percebi que esses falsos crentes que se dizem “crentes” não são amigos deles mesmos, não conseguem criar laços de amizades sinceros entre eles, pois sabem das intenções e caráter de cada crente, por esta razão afirmam em palavras que o único amigo deles é “deus”, não conseguindo nutrir uma amizade sincera livre de quaisquer interesses que não seja a verdadeira e a simples amizade!
Bem aventurado seja o homem que não segue religião nenhuma o ‘ateu’, mas tem a humildade de viver uma vida feliz com os seus semelhantes aqui na terra sem julgar ou desprezar o desconhecido, valorizando o seu próximo como gostaria de ser valorizado, e se realmente existir um deus tal qual o crente menciona, esses ateus são os verdadeiros CRENTES na visão do divino, pois praticam o amor ao próximo que está escrito na bíblia, quanto aos falsos crentes cheio de maldade em seus corações, esses são seguidores do mal disfarçado do bem, pagando pelos seus próprios pecados de suas ignorâncias, vivem magoados e amaldiçoando todas as pessoas que procuram a felicidade onde eles próprios, os crentes, não conseguem enxergar.
Quem tem deus no coração enxerga o amor em tudo, nas coisas que faz e nas pessoas do seu entorno, quem não tem deus no coração, só vê desgraça nas pessoas e no próprio mundo, por esta razão tais falsos crentes sempre estão na merda, tendo a necessidade de enganar os outros pois vivem da mentira de um falso deus e ninguém pode ser feliz de fato vivendo do que não existe!


Paulo RK