Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Não sei por que ‘pessoas’ se incomodam com pessoas falsas deste mundo?

Particularmente eu não ligo que o mundo esteja cheias de pessoas falsas e fúteis, pois como todo otimista incorrigível, eu enxergo oportunidades em meio ao caos mundano.
Não que eu deseje um mundo pior para todos, muito pelo contrário, acredito nos valores das realidades mundanas, e penso que se no mundo só existissem pessoas boas, o mundo seria tedioso e nada agradável, afinal de contas do que seria o doce se não existisse o amargo?
Quanto mais eu estudo a filosofia o qual escolhi desde 1.999 para que me  norteasse nesta vida de muitos e diferentes caminhos, me fascino com as pessoas do meu entorno, descobrindo nelas competências ocultas e do quanto elas são capazes de mostrar os meus defeitos que até então eu não conseguia enxergar.
E pasmem tais pessoas que me fazem enxergar os meus piores defeitos, são aquelas, que antes, eu julgava serem fúteis e incapazes de qualquer coisa.
Aprendi na filosofia budista a enxergar os meus ‘agentes positivos’ de vida, sabe aquela pessoa que parece odiar você, aquela ou aquele que faz tudo para te aporrinhar e tirar a sua paz espiritual nesta vida?
Talvez sejam difícil vocês compreenderem, porque aqui no hemisfério ocidental e católica do planeta, o mau vive em constante batalha, ou em conflito com as forças do bem, quando na verdade não é bem assim, pelo menos, nós budistas não enxergamos desta maneira.
No mundo e no universo a dualidade é uma constante, ou seja a noite para o dia, o frio para o calor, a água para o fogo, o homem e a mulher, o veneno para o antídoto e o positivo para o negativo, todos existem em pares, e tal dualidade só pode ter um significado e propósito para nós humanos, encontrar o equilíbrio no meio dessas duas realidades.
Qualquer religião ou filosofia que prega a errônea idéia de que o negativo está em constante conflito com o positivo é equivocada, basta observar, para gerarmos luz por meio da eletricidade são necessários duas formas de energias; a negativa e a positiva, sendo que uma não existiria sem a outra.
Então estimados leitores reflitam sobre as pessoas falsas e negativas em suas vidas ou mesmo neste mundo, procure o equilíbrio interior para lidar  principalmente com a falsidade alheia, de repente tais pessoas “falsas” são nossos ‘agentes positivos’ que querem nos mostrar o pior de nós mesmo que convenientemente teimamos não enxergar, para todo veneno existirá um remédio, e assim o mundo e o próprio universo prossegue em frente, 'seguir em frente', e não apontar as falhas alheias é tudo que precisamos para sermos melhores pessoas!

Paulo RK




Adore gente, ame mais pessoas que fazem parte da sua vida!

Sim, existe nas pessoas um histórico Cármico que carregamos muito além dos tempos; de vidas passadas, do presente e com certeza de um futuro desconhecido.
O que quero dizer é que todas as experiências vivenciadas por nós, sejam no passado, presente e futuro não se perdem com o próprio tempo, porque todo aprendizado ficará contido dentro de nós mesmos ou do que chamamos aqui de alma, dentro do nosso inconsciente e que manifesta como personalidade, por esta razão cada pessoa tem uma personalidade distinta uma das outras.
Cada um acredita no que quiser, falo com base no estudo da filosofia budista que muito tem respondido as minhas questões e indagações das minhas próprias ‘crises existenciais’ do ser ou não ser.
Aqui menciono tal teoria relevante, porque observo pessoas desdenhando uns aos outros, por valores fúteis e irrelevantes perante a verdadeira essência da eternidade, e funções pelos quais nascemos, neste planeta e como seres humanos.
Dizem que não são banais os propósitos por termos nascidos como ‘seres  humanos’, viemos com uma missão e cada missão são frutos dos nossos próprios Carmas, e foi o mesmo Carma que determinou a pessoa quem você é hoje, determinou a sua família, seus pais e todas as suas condições  inerentes e únicas que lhe caracterizam quem você é, goste ou não.
E é aprendendo com os nossos semelhantes que despertamos essa nossa consciência e o verdadeiro ‘sabor pela vida e por quem somos’, pessoas que se julgam melhores que as outras pessoas, que tem por habito ignorar o seu semelhante se tornam intolerantes consigo mesmo, por esta razão não conseguem viver em harmonia com as pessoas do mundo, pois vivem em constante conflito interior.
Não despreze ninguém pelas aparências ou por quaisquer valores superficiais que não represente de fato a pessoa em questão, tenha curiosidade em aprender sobre as pessoas, conheça o máximo de pessoa que puder enquanto estiver neste mundo, pois afinal de contas ‘se a vida é uma escola, as pessoas são os nossos melhores mestres da vida’!


Paulo RK