Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O homem deixou de ser a medida das coisas!


Tenho notado ultimamente, muitas formas das pessoas se apresentarem, como; “não sei bem, quem ou o que sou !”, “Acho que sou um pouco de tudo!”.
Alguns especialistas, podem achar esta forma indefinida, alguns outros confusa, mas acho que no fundo, esta definição faça até sentido.
Dizem que somos a soma, de toda a cultura que assimilamos(engolimos) em nossas vidas, e se considerarmos o fenômeno da globalização(internet), e o acesso que ela nos tem permitido, de estar em vários lugares ao mesmo tempo.
Esta definição faz, e tem muito sentido,vivemos um época em constante mudanças, o que era importante hoje, já não terá mais sentido daqui alguns segundos.
Assim são os nossos pensamentos, o que planejei para o meu futuro hoje, já não terá muito haver comigo amanhã!
A existência humana, se baseia no quanto seremos capazes de manter um pensamento, uma opinião sobre o que somos, e daquilo que seremos capazes de realizar, num futuro não muito distante.
Numa época, o homem era a medida de todas as coisas, nos tempos modernos, um homem não vale por si só, ele vale pelas informações que detém.
Resumindo, um homem ignorante por mais riqueza que possua, não vale absolutamente nada na era da informação!
Pasmem a vontade, pois eu fiquei chocado, como os valores mudaram, da época dos meus pais para cá.
Ninguém mais poderá avaliar o valor de um homem, só pelo fato dele ser, um ser vivo, a sua vida não terá muito sentido, se ele não tiver informação.
Ontem, um homem verdadeiramente poderoso, era aquele que possuía muitas riquezas,hoje um homem que sabe das coisas, mas não possui bens materiais, tem maior valor no mercado.
Quer saber , eu mesmo, fico confuso quando alguém me faz a seguinte pergunta; “fale me sobre você?!”
As pessoas conhecidas, me definem de muitas maneiras, é claro que muitas delas, são sempre gentis, e me colocam num pedestal de ouro.
Mas, eu mesmo não acredito que (eu) seja tudo isto, mas por via das dúvidas, estas pessoas me fazem muito bem (ego).
A questão é, o que realmente somos, qual é a nossa verdadeira definição perante a vida?
Invalido as opiniões dos amigos, familiares e namoradas, pois estes tem um valor sentimental, que sobrepõe todos os nosso defeitos.
Quem de fato nesta vida poderia nos avaliar ou dizer quem realmente somos?
Estas talvez, seja uma das muitas incógnitas que a vida nos apresenta.
Se hoje o homem, é valorizado pelo teu conhecimento, como medir a nossa própria ignorância se nem ao menos sabemos definir quem somos?
Agradeço por terem lido até o último parágrafo, e tenham um ótimo inicio de semana!
Paulo RK SP NAMASTÊ!

4 comentários:

  1. é uma questão muito bem levantada. e complicada para responder! o que somos, o que sabemos sobre nós? nem sempre sabemos muito sobre a gente, por incrível que pareça. misturamos nosso lado racional/emocional, com tudo o que já vivemos, presenciamos em vida e fazemos nossa imagem. e os outros, muitas vezes, nos olharão das mais variadas maneiras possíveis (umas até bem fajutas).

    gostei disso que vc disse, que na era da informação, a pobreza mental é um pecado gravíssimo. é bem por ai, não basta um bolso cheio com mente vazia.

    abraços! boa semana

    ResponderExcluir
  2. O auto-conhecimento é um trabalho de uma vida...

    ResponderExcluir
  3. O ser humano tem tornado-se efêmero ao extremo, não sabe esperar para realizar as grandes transformações necessárias.
    Gostei muito do texto, porque gosto de me indagar sobre tudo e ele me levou a reflexão.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. para mim nada muda e nem mudará em essência ... só a aparência é se mostra ... somos o q somos em essência ... SER ... posso ter todo o conhecimento técnico-científico, toda a riqueza material, toda a beleza física e não SER nada ... assim como o contrário, não dispor de nada disto e ser literalmente um grande SER ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir