Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Vamos criar grandes oportunidades em nossas vidas!


Trabalhei numa empresa por cinco anos, me dediquei ao máximo a ela, e cheguei a ganhar como prêmio, uma viagem com direito a um acompanhante, para o Porto Seguro (Bahia), de avião, e com todas as despesas pagas.
Durante este período, fui mencionado várias vezes por chefes, de vários setores da empresa, a minha foto foi espalhada por todos os corredores, e setores, onde todos , clientes e colaboradores, puderam observar um exemplo a ser seguido.
Grande coisa! Estava tudo acontecendo muito rápido, parecia que estava vivendo um sonho, mas um dia, este mesmo sonho, se tornou um pesadelo.
Depois de cinco anos, dedicados a única, e exclusivamente a esta empresa, ela me manda embora, e sem direito algum.
Motivo; o líder dos taxistas local, fez uma acusação sem provas cabais, de que eu estaria solicitando outros taxistas, de outro ponto, para lucrar ilicitamente, e roubando o direito dos taxistas locais, de exercerem, e ganharem seu pão de cada dia.
Numa bela noite, após a minha janta, a diretora me chamou em sua sala, e simplesmente pediu que eu assinasse a minha demissão.
Sem ao menos saber do que se tratava, eu li o documento,e fiquei super indignado e revoltado, e não assinei o termo.
Friamente, ela me respondeu que era um direito, que me assistia, e me orientou que eu procurasse os meus direitos.
Foi o que fiz, isto me aconteceu no inicio do ano de 2005, e a minha primeira audiência foi em janeiro de 2006, o juiz leu os autos, e achou um absurdo, uma empresa mandar embora um funcionário, alegando que este estaria prejudicando-a financeiramente, só porque tentou ajudar da melhor forma possível os seus clientes.
Absurdo maior, foi mandar embora sem direitos, pois para todos efeitos, o ato não justificou a rescisão por justa causa, não houve agressão física ,tão pouco houve, flagrantes de roubo, ou furto de qualquer natureza.
O juiz entendeu que houve má fé, por conta da empresa, e convidou os advogados de ambas as partes, a fazerem um acordo, mas este foi negado, pelo advogado representante da empresa, pois este alegou, não ter respaldo para faze-lo.
Desde então , do ano de 2006, não trabalho com registro em carteira, pois todas as empresas as quais me candidato, solicitam uma carta de referencia, e a empresa em questão, tem negado, e pelo que me informei com o meu advogado, ela tem todo o direito a negar, pois o processo ainda está em aberto.
Então percebi o quanto, o trabalhador brasileiro, está desamparado em termos sociais em nosso país, já foi um grande erro,a empresa mandar embora, um colaborador que ganhou prêmios, pela sua dedicação e que teve a sua foto exposta em corredores, e sessões, para motivar os outros colaboradores.
Foi preciso, apenas uma mentira, criada por uma pessoa, que nem foi um colega de trabalho, para por todos os meus sonhos, e objetivos por água abaixo.
Não lamento o fato de ter sido mandado embora, pois nós brasileiros, somos todos descartáveis na visão de alguns empresários, no entanto, o fator que mais pesou neste ocorrido, foi que a diretoria, nem quis saber a minha versão do que estava acontecendo, não me foi dado o direito de me defender.
Simplesmente, eles ouviram um estranho, que se autodenominava, líder dos taxistas, mas não deu direito algum, a um exemplo de colaborador, que eles mesmos, elegeram como tal.
Não gosto de falar sobre as minhas experiências pessoais negativas,mas faço desta um exemplo , para expor as nossas fragilidades como trabalhadores dedicados, em um pais socialmente injusto como o nosso.
Desde 2006, tenho me dedicado a outros tipos de atividades comerciais, sem registro em carteira, me caracterizando com um autônomo.
O processo ainda está rolando, e nem vi a cor do dinheiro a que tenho direito, mas enquanto isto, vou caminhando por esta estrada tortuosa, com a cabeça erguida, e oferecendo o que tenho de melhor, que é a minha boa vontade de ser útil a sociedade.
Não preciso ser mesquinho, e tão restrito em prejudicar alguém como o fez esta empresa, e de uma certa forma, ainda o faz, em negar cartas de referencias, quando solicito.
Mas ao escrever este texto, fico imaginando quantos brasileiros, não passam por estas amargas experiências em suas vidas, e quantos deles não acabam fazendo besteiras, como um ato de desespero.
Gostaria de dizer, que para superar esta fase ruim da minha vida, me apeguei muito a filosofia budista, a qual me indicou dois caminhos a ser seguido, e uma delas, iria gerar uma condição que me tornaria em uma pessoa inabalável em todos os aspectos da minha vida.
A primeira foi procurar a ser útil as pessoas do meu convívio, fazendo serviços que muitas vezes, não era remunerado, a partir daí surgiram oportunidades de mostrar aos outros, tudo aquilo que era capaz de fazer, surgindo assim, novas oportunidades para ganhar dinheiro.
Quando procuramos ser uteis aos outros, uma outra condição surge de dentro de nós, que é a satisfação pessoal, uma sensação de bem estar com nós mesmos, e é ai que passamos a nos preocupar com o nosso presente , com tudo aquilo que podemos mudar.
Ou seja, com o nosso presente, podemos moldar o nosso futuro e fazer dos nossos passados um grande aprendizado.
De nada adianta lamentar o passado, mas podemos remedia-la, confiarei na justiça e intervenção divina, ainda que a justiça humana seja falha, a lei universal é inexorável e infalível.
Enquanto isto, na condição de um mortal comum, caminharei ao lado de pessoas com boas intenções, na condição de um aprendiz, pois todas elas me ensinam uma grande lição a cada dia.
Elas me ensinam a arte, de viver humildemente, mas com muita dignidade, e poder caminhar por esta estrada tortuosa, com a cabeça erguida, sem temer absolutamente a nada.
Muito obrigado por terem lido até o ultimo parágrafo.
Paulo RK SP MINDS NAMASTÊ!

4 comentários:

  1. Você foi sordidamente injustiçado meu amigo, nossa. Cabeça erguida, que eu sei, é o que já vem fazendo, e como você mesmo disse, aguardar na intervenção divina, creio seja apenas assim você vai conseguir!

    Tua história (infelizmente real) me fez lembrar quando sem justificação nenhuma me deportaram na Espanha. Quando eu contava para os outros, me olhavam sempre desconfiados, como se ser turista fosse um crime!

    * Sou uma inversa à selos também Paulitio, aliás, deixo isso escrito na aba "sobre o blog" em meu CaFoFo, nao comemoro aniversário de blog também... somos farinha do mesmo saco hehe Mas de ser seguidor eu gosto porque é uma ferramenta útil para acompanhar as postagens da pessoa, sem o risco de desaparecer daquela listinha "Blogrol" que fiz. Já aconteceu uma vez do Blogger dar um pane e sumir todos os blogs que eu seguia no "Blogrol", então agora fiquei precavida :-> E eu nao posso perder de vista as tuas postagens né, tá loko.

    ResponderExcluir
  2. Olá Paulo! Sempre quando passo no blog do Ale, Vejo seus comentários, hoje resolvi conhecer seu blog. Amei*
    Li a história acima! É triste as vezes quando certas coisas acontecem, de forma injusta. Mas, a vida continua; e quem tem sonhos, não para nunca..otimismo sempre!
    É como diz - Augusto Cury - "NUNCA DESISTA DE SEUS SONHOS"

    Abraços,
    Lu
    OLHAR ACREANO

    ResponderExcluir
  3. Esse é um entre os muitos motivos que infelizmente me fizeram perder a fé no ser humano e também perder minha disposição em querer ajudar e agradar as pessoas. Eu sei que não devemos generalizar, julgar todos os seres humanos tipos como esses, mas realmente fico desmotivado ao ouvir uma história como essa, onde uma única pessoa consegue prejudicar outra por anos, com simples palavras.
    Por isso decidi ficar mais na minha.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia querido passando pr ti desejar uma linda semana com toda sorte de benção´... é triste sei bem o que fala no texto.Celebrar a vida é somar amigos, experiências e conquistas, dando-lhes sempre algum significado...Eu ja ti gostoo muito Viu bjs!!!

    ResponderExcluir