Paulo Rk

Paulo Rk
Contemplação da mente

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Nada sou, além de sentimentos sinceros em palavras


Eu vivo dentro da minha cabeça, as atividades dentro da minha mente demente, são fortes.
Cada palavra que ouço das pessoas que conheço pela primeira vez, ou daqueles que conheço ao um longo tempo, ecoa por toda a minha vida, fazendo de mim um ser forte e intenso.
Porque não escuto por escutar, pois palavras são códigos que revelam a realidade de cada pessoa neste vasto universo, é como se elas fossem a própria impressão digital de cada indivíduo, sendo raríssimo ou talvez impossível encontrar dois iguais.
Por esta razão, valorizo os meus pensamentos em forma de palavras, pois dela depende a minha identificação neste planeta como um ser que pensa.
Não quero ser mais um, uma pessoa vazia que só fala o trivial, das muitas coisas ruins que testemunham em programas de  emissoras, sedentas por audiência que não nos agrega nada, pela própria falta de assunto, ou conteúdo relevante interior.
E por pensar assim, o meu jeito de existir é diferente dos demais, sou uma pessoa tímida por natureza, mas faço desta o meu charme e para alguns, um encanto natural do meu ser.
A timidez quando controlada pode ser o nosso grande aliado nesta vida, pois quando a controlamos somos visto pela grande maioria barulhenta como um ser discreto, nos tornando numa pessoa educada e bem vinda por todos.
O caos estabelecido neste mundo é porque todos querem se aparecer por demais da conta, todo mundo quer falar sem ter o conhecimento mínimo das “coisas” que saem de suas bocas.
Porque a lógica da construção do nosso ser funciona da seguinte maneira; ‘quem muito fala e pouco ouve, fala muita merda’!
Mas não estou aqui para criticar a existência alheia, pois como sempre menciono por aqui, não quero ser mais um, a fazer o que todo mundo faz, colaborando com um mundo pior.
Falar que o mundo está uma merda e as pessoas são falsas é um clichê a qual não me dou o direito de prestar atenção, pois estou muito ocupado em fazer a minha própria diferença neste mundo.
Da mesma forma que não discuto mais com as pessoas bitoladas que tenta me convencer da existência de um deus, e que o budismo é mais uma religião falsa, quando elas mesmas sequer conseguem acreditar no que elas afirmam.
A questão é quando eles tentam fazer “lavagem cerebral” em mim, percebo nitidamente que não é a mim que eles querem convencer, mas a eles mesmos, quando percebo em suas próprias palavras a extrema falta de convicção e insegurança, do que elas próprias afirmam acreditar.
Perceberam como é importante dominar as palavras?
O mundo funciona nesses moldes, não adianta você se enganar, tem que acreditar na verdade absoluta, onde concordamos com uma única realidade de vida.
Apesar das mentiras, como as ‘verdades relativas’ do mundo contemporâneo, a ‘verdade absoluta’ existe, e ela prevalece quando a buscamos!
Quando acreditamos numa mentira, passamos a vivenciar, mas não chegamos a lugar algum, pois mentiras que criamos dentro das nossas próprias mentes, é muito diferente das mentiras convenientes deste mundo.
O meu conselho, se é que esteja preparado ou apto para dar um conselho, na verdade seria de bom tom, dizer sugestão, pois por ser um ser humano, como qualquer outro, sou falho.
Então a minha sugestão é para que prestem muito atenção no que as pessoas estão falando, mas principalmente prestem muito atenção nas coisas que você tem falado de repente, você que reclama da vida e do mundo, pode ser aquele que mais colabora com o caos mundano!
Paulo RK

2 comentários:

  1. sentimentos são profundos

    ResponderExcluir
  2. Lidia Mara Camargo23 de maio de 2014 12:58

    Adorei, gostei muito, mas muito mesmo, veio de encontro com tantas coisas que acredito!

    ResponderExcluir